SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Promessas Vazias

O ser humano é o único dos animais que fala. Com isso, torna-se o
único que se comunica de forma racional, mas, apesar disso, é o que
usa seu poder racional da pior forma possível.
Dizem que o ruim do ser humano é produzir bombas. Outros dizem que o
ruim é destruir o mundo. Errados todos: a pior faceta do ser humano é
ser o único animal que faz PROMESSAS...
Prometemos fazer regime na segunda-feira, para quebrá-lo já na terça à
noite. Prometemos estudar mais, nos esforçar mais, trabalhar mais,
quase sempre em vão. E agora, véspera de ano novo, promessas surgem
aos borbotões da boca do povão. E, triste sina a delas, das promessas,
morrerão como moscas nadando no detefon ao raiar do novo ano.
Claro que já fiz minhas promessas, e claro que quebrei um monte
delas... A que sempre faço, e sempre quebro, é a de ficar longe do
sol. Não nos damos, o sol e eu, então o melhor é ele ficar acolá e eu
aqui, mas, vez ou outras, nossos destinos se cruzam e olha eu aqui
queimado, com dor nas costas, torcendo por ser atropelado por uma
horda de javalis selvagens e, com isso, cessar minha dor, mas o quê:
os javalis selvagens estão extintos e só me sobra a dor e a revolta
por há, de novo, entrado no mar e queimado as fuças...
Sou branquelo, assumo, e com isso, deveria saber que pra entrar no mar
só de submarino, mas não, cabeção que sou, entrei, nadei, brinquei, e
o resultado é essa dor maldita que me lembra a todo instante de que
não devo brincar com sol, praia, mar, e só tomar banho de lua, como a
Celi Campelo...
Não sou tropical, jamais serei tropical, não sei por que insisto em
ser normal... Pareço aqueles caras pinguços, que, depois do porre,
prometem que jamais beberão novamente. Semana que vem estarão lá os
pingaiadas, bebendo e prometendo jamais beber novamente...
Por isso eu digo, e prometo em público, que jamais voltarei à praia
novamente, isto é, besta como sou, volto aqui no próximo verão!
Ah, o ser humano e suas imperfeições imperfeitas... Pingüim (com
trema!) é que é feliz de verdade...
--
Enviado do meu celular

2 comentários:

Thalita Thais S.A. disse...

Prezado, fiz uma dessas agora no ano novo... estou descascando geral, "prometo" ser mais cuidadosa com o sol, e com as promessas!!!! Grande abraço!!!

Manu Abintes disse...

Eu insisti tanto com o sol, que ele acabou me aceitando!!! Agora estou negríssima da Silva!
Não desista do sol, amigo... essa parceria pode dar certo!

Te amo.

Beijo