SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

terça-feira, 14 de novembro de 2006

FELIZES PARA SEMPRE...

Sei muito pouco sobre contos de fada. Li alguma coisa dos irmãos Grimm, Pinóchio, um ou outro filme da Disney... Ouvi, enquanto estava no pré, muitas historinhas que terminavam com o clássico “e eles viveram felizes, para sempre...”.
Sempre me pergunto:
“Por que fazem essa lavagem-cerebral conosco?”
“Por que nos fazem acreditar que, um dia, uma princesa encantada aparecerá, ou que um príncipe (para as mulheres e para alguns homens!), no alto de um cavalo branco, com uma capa esvoaçante surgirá, assim, do nada, para livrar-nos de nossa vidinha ordinária?”.
“Por que sempre são os homens que são sapos e precisam do beijo da princesa para serem transformados em gente?”.
“Por que essa ligação entre homens e sapos? As historias foram escritas por feministas? O que a S.D.S. (Sociedade de Defesa dos Sapos) tem a dizer a esse respeito?”
Não há nada sobre esse fato em toda Internet, ninguém se levantou para segurar essa bandeira contra a opressão, que diz que somente mulheres podem ser princesas... Conheço muitas mulheres sapas, com verruga, pele verde, coaxantes e que só faltam morar no brejo de tão feias, mas não vim aqui hoje para falar de feminismos e mulheres feias. Vim falar de historinhas...
Sempre acreditei em princesas que surgem do nada e mudam nossas vidas, mas nunca acreditei no “FELIZES PARA SEMPRE” que lia no final de quase todos os contos... Explico: deve ser uma chatice sem igual ser “FELIZ PARA SEMPRE”...
Imagino o Shrek e a princesa Fiona, ambos vivendo felizes em seu pântano, nos arredores da floresta encantada. O casamento está bem, as coisas estão dando certo, eles até pensam em ter um ogrinho para aumentar a família.
Segunda-feira cedo, seis horas da manhã, inverno.
-Bom dia, meu amor...- diz a princesa Fiona ao ouvido do amado, que estava dormindo um sono profundo.
-Humpf... –resmunga Shrek, virando-se de costas e tentando voltar a dormir.
-Não está na hora de acordar, meu anjo? O sol já está alto, o tempo está friozinho, mas não muito, os pássaros chilreiam, pipilantes, pelo ar...
-Humpf...
-Vou trazer para você o melhor café-da-manhã do mundo... –diz Fiona, levantando-se da cama e indo preparar o café do amado.
Shrek pensa;
“Como alguém pode ter bom-humor às seis horas da manhã, numa segunda-feira fria?” - revirando-se na cama e voltando a dormir.
Alguns minutos depois chega ela, com uma bandeja cheia de comida e um sorriso na cara:
-Meu amoôooor...
-Humpf...
-Meu amooôooor...
-Fala, Fiona...
-Já trouxe o seu café da manhã...
Shrek é obrigado a sentar para tomar seu café, mas no fundo, ele pensou:
“Problema seu que trouxe café... Eu não pedi! Eu quero dormir!”
Depois de acordado, o que fazer? Arrumar a casa, caçar, trazer lenha para o lar...
Chega à hora do almoço.
-O que meu amor vai querer para comer?
-O que você fez?
-Ainda nada, pois estava esperando minha vida chegar para poder cozinhar o que você pedir...
-Fiona, já são mais de duas horas da tarde, e você ainda não cozinhou?-pergunta um Shrek tentando reprimir seu desapontamento e ser simpático.
-Não, pois quero preparar um almoço especial para meu querido amado...
Shrek pensou:
“Almoço especial? Acho que ela quer dizer ‘jantar especial’, pois até ficar pronto, já estará de noite...”- mas deu um sorriso e um beijo na esposa, dizendo:
-Ok, então enquanto você faz o... “almoço”, eu vou dar uma corridinha, pois estou fora de forma...
-Sim, meu anjo, minha vida, meu querido...
Shrek veste seu agasalho da Nike, coloca um bom tênis e sai para correr. Corre por duas horas, passeia pelo pântano, assusta duas pessoas, derruba uma árvore, pisa em um esquilinho, enfim, está feliz.
“Duas horas de corrida... Devo ter perdido algumas calorias hoje...” –pensa consigo mesmo, sorridente.
Chegando em casa, a mesa do almoço começa a ser arrumada.
-Ainda nada, pois estava esperando minha vida chegar para poder cozinhar o que você pedir...
-Fiona, já são mais de duas horas da tarde, e você ainda não cozinhou?-pergunta um Shrek tentando reprimir seu desapontamento e ser simpático.
-Não, pois quero preparar um almoço especial para meu querido amado...
Shrek pensou:
“Almoço especial? Acho que ela quer dizer ‘jantar especial’, pois até ficar pronto, já estará de noite...”- mas deu um sorriso e um beijo na esposa, dizendo:
-Ok, então enquanto você faz o... “almoço”, eu vou dar uma corridinha, pois estou fora de forma...
-Sim, meu anjo, minha vida, meu querido...
Shrek veste seu agasalho da Nike, coloca um bom tênis e sai para correr. Corre por duas horas, passeia pelo pântano, assusta duas pessoas, derruba uma árvore, pisa em um esquilinho, enfim, está feliz.
“Duas horas de corrida... Devo ter perdido algumas calorias hoje...” –pensa consigo mesmo, sorridente.
Chegando em casa, a mesa do almoço começa a ser arrumada.
-Fiz um almoço especial para você, meu tudo: estrogonofe!
Shrek sente o coração bater mais forte. É louco por estrogonofe, é fanático por estrogonofe, daria um mundo por estrogonofe, mas acaba de passar duas horas correndo, para perder peso... Para não desagradar à esposa, sorri e come.
A tarde vai chegando...
Depois de uma corrida e de um bom almoço forçado, Shrek pensa em descansar. Tirar um cochilo após um dia que já se mostra longo demais não seria má idéia...
Fiona, vou dormir um pouco...
-Sim, meu querido... Mas, antes, você poderia me ajudar a arrumar nosso álbum de fotos?
-Arrumar o quê?
-Nosso albinho, meu Tchutchuco...
-Tem de ser agora, Fiona?
-Ah, meu amor... Faz isso por mim!
-Ok... ok...- diz Shrek, contando até dez, mentalmente, em ogrês:
“Humpth, blargh, argh, crec, skatapum, kaplam...
Tarde passada, chega à noite. Friozinho gostoso, grilos lá fora, lareira acesa.
Shrek dormia, no sofá em frente à lareira. Acabara de pegar no sono, quando é acordado.
-Meu amoooôor...
-Humpf...
-Minha viiiiidaaa...
-Fala, Fiona, fala...
-O jantar está na mesa...
-Estou meio sem fome...
-Fiz picanha, com bastante gordura, do jeito que você gosta...
-Fiona: eu estou de regime...
-Eu sei, mas quis caprichar no jantar do meu amozão...
-Eu sei que você quis caprichar, mas assim eu não emagreço, nunca...
-Mas eu te acho lindo assim, fofinho... Amo você do jeito que você está...
-Mas eu quero emagrecer, Fiona...
-Mas você é meu amor, meu tchutchuco, meu bem-te-vi alado...
-Eu sou seu “tchutchuco”?
-É, meu amor...
-Eu sou seu “bem-te-vi alado”?
-Sim, minha vida...
-Fiona, você já viu algum bem-te-vi que não fosse alado?
-Não que eu me lembre, morzico...
-Fiona, eu quero o divórcio! Eu não agüento mais! Me trate mal, me xingue, chame minha atenção, preciso de ação, preciso sentir meu sangue correr pelo corpo...
-O que você pedir, meu amor...
-Fiona!
-Sim?
-Pare de me chamar de “amor”.
-Sim, meu anjo.
-Fiona... Dá um tempo! Eu não agüento mais essa melação! Vou acabar ficando diabético...
-Se ficar, vou continuar te amando do mesmo jeito...
Arrrrrghhhhhh!!!!- grita Shrek, segurando a esposa pelo pescoço e jogando-a no fundo do pântano...
Guerra, estresse, gritos e nervosismo: o mundo seria muito chato sem isso! Pense nisso quando for procurar o seu “príncipe encantado”... Viver “FELIZ PARA SEMPRE” deve ser um grandessíssimo Tédio, com um T bem grande, tipo assistir ao Jornal do SBT...

Um comentário:

Intrigante disse...

8 ou 80, é isso agora??? Nem tudo são flores, nem tudo são espinhos... Entre tantas espécies, a rosa nos mostra como é possível viver em harmonia!!! :)!