SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

sexta-feira, 23 de abril de 2010

VIZINHOS...

Conheço muitas cidades do estado de São Paulo. Morei em várias delas. Em todas, uma única coisa em comum: nunca tive sorte com vizinhas!

Vejo nos filmes, com uma inveja danada, aquelas cenas onde, com um binóculo, o cara sem-vergonha observa a vizinha gostosa fazendo um strip-tease delicioso, tirando cada peça de roupa com um glamour que poucas “damas da noite” teriam.

Olho através da janela do meu apartamento e só vejo um velho comendo seus sagrados amendoins... Maldita sina essa minha!

Para tornar pior o que já é ruim, além de não ter uma vizinha gostosa, tenho somente vizinhos chatos, como aquela gorda, baixinha, velha, com buço e meio careca, que tem a mania de me parar todas as vezes que nos encontramos, independente do horário, das circunstâncias, do local e do peso que esteja em minhas mãos no momento...

Arrependo-me no fundo da alma do dia em que, tentando ser simpático, perguntei à velhinha, no elevador:

-Olá, tudo bem? 

Ela aproveitou a deixa e começou a dissertar sobre sua vidinha medíocre:

-Não... Nem te conto o que aconteceu comigo... Estou com problemas no meu trabalho, o meu marido morreu (SORTUDO) meu cachorro está com sarna, minhas hemorróidas estão me matando, o meu colesterol está lá em cima, estou gorda (reparei!), preciso de exercícios, meu tio morreu, meu primo está com gonorréia - aquele safado que sai com qualquer mulher que aparece... 

Não sei se é azar meu ou isso é um evento de ação mundial, mas você, amigo e querido leitor, já reparou no fato de que as pessoas chatas NUNCA estão bem? Nunca há um dia em que elas simplesmente sorriem para você e dizem:

-Olá... Comigo está tudo ótimo... 

E saibam que, se um dia disserem, esse será o dia em que eles vão morrer: pra gente chata, só o dia da morte é bom, o resto é um martírio...

Não bastasse isso, a vizinha chata SEMPRE pergunta sobre você e sua vida, sobre sua mãe e sua namorada, e quando você começa a falar ela corta, pois a vida dela SEMPRE é mais importante ou emocionante ou sofrida que a sua. Respire fundo, conte até dez em todos os idiomas que souber, lembre-se que podia ser pior - ela poderia ser a sua sogra! - depois a ouça.

Se você está doente, com uma febre de 40º e gripe, lá vem ela:

-Nossa, eu é que estava ruim na semana passada... Tive 48º de febre e dor de cabeça e tossia tanto que não conseguia respirar! Quase descolei a pleura de tanto tossir! Muito pior do que a sua besta e gripinha passageira... 

Se você conta sobre o seu pai, que morreu, lá vem ela de novo, sempre a campeã:

-Ele teve sorte... Morte sofrida teve o meu pai, que sofreu o diabo para morrer, demorou vinte anos na cama, eu cuidando dele todos os dias, sozinha, pois as desgraçadas das minhas irmãs, vagabundas que só querem saber de homem, aproveitaram a doença dele para galinhar por aí e blá, blá, blá...

Incrível como somos inúteis e vazios perto de uma vizinha chata. Mais incrível ainda é que ela sempre tem duas ou três filhas, bonitas, somente para poderem ser sogras de dois ou três genros - pobres diabos - e ajudá-los a entender que existe algo pior do que a morte. 

Outro dia ela me pegou na porta do elevador e começou a perguntar sobre exercícios físicos. Disse que precisava fazer alguma atividade –óbvio! Inventei algumas idéias sobre o que ela deveria fazer para ficar em forma (na verdade, acho que só morrendo e nascendo de novo, mas não sou tão cruel) e lá vem ela me contar o quanto andava quando era moça (há 60 anos atrás!), o tamanho da cinturinha dela, que hoje parece um pneu de caminhão, o quanto era gostosa, como recebia cantadas dos homens por onde passava...

Conversando com ela, eu começo a entender o porque de existirem homens que nascem, crescem, amadurecem, envelhecem e morrem, solteiros e convictos de estarem certos...

Prefiro o inferno e seu fogo eterno a ter de acordar e dormir e comer ouvindo uma velha daquelas contando a sua vida... Feliz o marido dela, que foi atropelado por um caminhão de cimento, quebrou todos os ossos do corpo e sangrou até morrer. Esse foi direto para o céu, sentando-se hoje ao lado de Jesus Cristo e da Virgem Maria. Ele merece. Já pagou todos os seus pecados aqui na Terra...

5 comentários:

Flávia disse...

Tenho certeza de que sua vizinha não é tudo isso...
Parece que vc juntou as quatro sogras do outro texto( que também é hilário) e construiu um monstro, mas adorei!!!!


Beijossss

LOGAN disse...

PORQUE TODA MULHER TEM MANIA DE DEFENDER SOGRA?

POR QUE NO FUTURO SE TORNARÁ UMA!

Michele P. disse...

Torço para que Deus te dê, ainda nesta vida, uma filha mulher!

kkkkkk

Carolina de Castro disse...

Mas aqui... Eu tb nunca tive sorte com vizinhos.
Nunca..
Rsrsrsrsrs

Késia Maximiano disse...

Sabe.. Meus vozinhos tb nunca foram dos melhores.. E olha q eu nunca sai de casa, eles q se mudaram pra perto de mim! rs

Beeeijos