SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

terça-feira, 27 de abril de 2010

minha MÃE

Ultimamente, minha cabeça está a mil...
Existem muitas coisas que giram, convulsionadas e sem nexo em minha cabeça. Não consigo desligar o cérebro nem por poucos minutos, sempre maquinando ou pensando em um texto ou no próximo projeto ou em como melhorar o projeto anterior... Sonho com meus afazeres e vejo-me trabalhando enquanto estou durmo...
Tenho um defeito grave (pelo menos hoje em dia tem se mostrado um defeito!) que é nunca parar de fazer uma coisa que comecei, enquanto não a termino. Se começo, fico ansioso pelo final e, convenhamos, isso é muito difícil de aturar quando se trata de um escritor que tem livros de 200 ou 300 páginas... Soma-se a isso o fato de que estamos perto do Natal, e eu não fico bem no Natal. Entrei no final de novembro carregando um nó na garganta e um aperto no peito que tornam mais difícil o escrever, sem colocar no papel algo pessimista ou saudosista. Considerando-se que, normalmente, sou um saudosista nato, juntou-se a fome com a vontade de comer: APERTO+SAUDADE+NATAL...

Eis que minha mãe telefona. Saudades daquele colo...

Não que seja raro ela ligar, mas não liga nunca a tarde e nunca no meio da semana. Numa tarde de quarta-feira então...
Atendi ao telefone e ouvi sua voz:

-Meu filho, tudo bem? 

Ouvir a sua voz perguntando se eu estava bem, justo numa semana e num mês em que eu não estava, mexeu comigo, mas não disse nada.

-Não sei, mas tenho pensado muito em você, não sei porque, estou sentindo que você não está bem... 

Não sei como ela descobriu ou qual é o elo mágico que me liga com minha mãe, mas o fato dela ter acertado na mosca deixou-me pensativo.
Em nossa casa, devido a influencia dela mesma, sempre festejamos meu pai. Nunca passou-se um aniversário ou um Dia dos Pais sem que ele ganhasse presentes e festas. Já com minha mãe...

Eu já esqueci o aniversário dela umas dez vezes. Acho que há uns 5 anos não dou um presente de Dia das Mães, sempre junto com o de aniversário, já fiquei três meses sem ligar, já fiquei quatro meses sem ver... Não sei porquê faço isso, mas o fato é que tenho a impressão de que ela sempre vai estar ali, me esperando, me dando um beijo ou uma bronca...

Quando ela ligou, senti vontade de contar tudo, de dizer que não estou bem, que estou sozinho e que tenho vontade de me jogar na frente de um caminhão de mudança, mas não disse nada. Disse que era impressão dela, que não tinha nada, que estava bem... 

Ela sabe que eu menti. Ela sabe tudo!

Ela sabia quando eu brigava com uma namorada, quando eu estava sofrendo, quando eu estava alegre ou triste... Ela entende minhas depressões e minhas quedas de auto-estima, e ouve os meus delírios e sonhos de grandeza...
Sempre, quando vai desligar o telefone, ela me diz:

-Eu te amo meu filho...- e eu não sei porque só consigo responder um “eu também...”.

Quando tento dizer que a amo, a voz trava e não responde nada além daquele “eu também”...
Uma vez, em um texto, eu citava uma música da Legião Urbana:

...e o que disserem meu pai sempre esteve esperando por mim... 


Mas eu esqueci de citar a frase seguinte:


...e o que disserem minha mãe sempre esteve esperando por mim... 

Perdi meu pai, mas ela está lá, forte e esperando, sempre, por mim. E naquela hora, em que ela me ligou perguntando se eu estava bem, dizendo que sentia-me triste, mesmo longe, não houve garganta que segurasse, e eu disse, em alto e bom som:

-MÃE, eu te amo!


ESSE TEXTO FOI ESCRITO EM 2005, E ENTREGUEI JUNTO COM UM PRESENTE DE NATAL A MINHA MÃE... REPRODUZI-O AQUI, SEM MUDANÇAS...
MOTIVOS PARA REVÊ-LO? 

NO DIA 25 DE ABRIL DE 2010 UMA FASE ENORME ENCERROU-SE PRA MIM. FIQUEI MAIS SOZINHO DO QUE NUNCA...
DIA 25 PERDI MINHA MÃE...

7 comentários:

Michele P. disse...

Nestas horas,um "sinto muito" dito por um parente ou amigo, não é suficiente para deletar a dor daquele ou daquela que perdeu um ente querido.
Um "sinto muito" não basta para suprir a falta de alguém que se foi, principalmente quando este "alguém" é a pessoa que nos deu a vida, que nos trouxe ao mundo, que nos ensinou a maior parte do que sabemos e nos tornou aquilo que somos.
Uma vez li algo que dizia mais ou menos assim: "Pq Deus permite que as mães vão-se embora?"
Não sei responder.
Alguns diriam que é "a lei da vida", outros que "é assim mesmo, todos um dia partirão"...
Mas eu sei, que nada que nos falem ou expliquem neste momento, apagam o sentimento de perda, de desolação, de tristeza.
E é por isso que te desejo força.
Força para superar. Força para não parar. Força para não desistir...

Flávia disse...

Lindo texto, tô aqui, SEMPRE!

Força aí, beijos

Michele P. disse...

Estive procurando palavras de conforto e encontrei um trecho de um poema,que apesar de não ser o seu gênero predileto, pareceu-me traduzir os sentimentos do momento:

"Ficou para trás mais um verão.
Outro outono desfolha meu peito.
Será um novo inverno de fria solidão.
Porém, a primavera me encontrará refeito." (Paulo E. da Rocha)

E que a primavera te encontre refeito!

Bjs

Anônimo disse...

Você é um tanque de guerra, e vai superar essa perda. Um abraço!

Thalita Thais S.A. disse...

Ai menino... o que dizer numa hora dessas... Sinto muitissimo pela sua perda... lindo o texto... fico muito feliz por vc ter tido a oportunidade de ter dito a ela que a ama.. Beijos, fica Deus!!!

anita sereno disse...

oi sinto muito a tua perca não sei que dizer nessa hora tão frágil
mas quero que acredites que foi lindo teres gritado NAQUELE MOMENTO TE AMO MÃE
LA DO CÉU ela te cuidara jamais te abandonara
os meus mais sinceros
sentimentos fica com Deus
beijo

Anônimo disse...

"Mais sozinho que do NUNCA"....