SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

VOCÊ É UM VENCEDOR!

Um dia, estava eu com meu controle-remoto-power-ultra-hitech universal, sentado em frente à tv.
Assistia aos Teletubies e, confesso, para minha vergonha, que estava gostando. Sou fã da Lála, mas isso já é outra história... O caso é que assistia à TV, quando, sem mais nem menos, mude de canal.
Não entendi o porquê mudei de canal, uma vez que estava gostando do que assistia, e, filosofando, descobri, como causa pela mudança, o fato de eu ser HOMEM.
Longe de mim qualquer dúvida quanto a isso, uma vez que tenho consciência do que sou e do que gosto, mas aquela mudança de canal, sem mais nem menos, deixou-me ainda mais convicto do fato. Meu pai tinha essa mania. Meu irmão, meus tios, meu sobrinho... Meu avô provavelmente teria, se estivesse vivo e possuísse uma tv com controle-remoto...
As mulheres não fazem isso. São normais, ou quase... Assistem qualquer coisa que passe na TV, mesmo que esse programa seja sem o menor nexo ou lógica, somente pelo fato de ouvir os sons que emanam da caixa mágica da sala. Isso explica os números do IBOPE nas novelas da Record ou dos programas que passam à tarde pelos canais do Brasil... Já o homem, não. Além do bíceps e o tríceps, os outros dois músculos mais desenvolvidos no homem é o pânceps (também chamado de barriga, pança, pelanca...) e o dêdops, que é, juntamente com o coração, um dos músculos involuntários do organismo. O pânceps reage às ondas elétricas emitidas pela TV quando ligada, causando espasmos regulares no dedão, que, por motivos anatômicos, sempre fica sobre o botão “CHANNEL” do controle-remoto... Nas mulheres, o dedo não reage com as ondas. Caso único na espécie animal, as mulheres possuem a língua como músculo involuntário, e esta reage com elementos externos, como o ar, a água, a terra, o fogo, a luz, a escuridão, o frio, o calor, o vento, a umidade e ao som, o que explica o fato de falarem tanto ou mais do que mudamos o canal da tv...
Voltando à TV, depois de ativado, o dêdops dificilmente para antes do 97º espasmo involuntário, e foi isso que aconteceu comigo naquele dia fatídico. O músculo parou em um canal educativo, onde estava sendo transmitida uma palestra de auto-ajuda. Comecei a prestar atenção:
-Você é especial! Você é único! Você é perfeito! Você é vitorioso!
Pensei comigo mesmo:
“Como ele sabe que eu estou assistindo? Como ele consegue me descrever tão perfeitamente?”
Continua a palestra:
-Você já nasceu vencedor! Desde o começo, você venceu... Havia milhares e milhares de outros disputando com você a primazia da vida... Outros esperminhas de seu pai, que nadavam dentro de sua mãe procurando o ovulozinho...
Pensei comigo mesmo;
“Esperminha nadando dentro de minha mãe, procurando o ovulozinho???”
Continua a palestra:
-Só um desses esperminhas, só um, o melhor, conseguiu fecundar o óvulo de sua mãe... Somente um, o campeão, o vencedor, o melhor, o vitorioso, o glorioso, o dono do título...
Pensei:
“Sim, I’m the best!”
A palestra continuou por mais uns trinta minutos, e quando acabou, percebi que estava meio atrasado para o trabalho. Mesmo assim, troquei-me com esmero, pois um campeão não poderia sair pelas ruas da cidade assim, de qualquer jeito. Sou o vencedor!
Saí.
Caminhando pelas ruas, pensava:
”Êta esperminha bom, esse do meu pai!”
Ainda sorria de orgulho, quando vi um homem deitado no chão. Estava bêbado, vestia uma camisa do Corinthians (só podia!) e um cachorro pulguento lambia sua cara. Lembrei-me da história do esperminha pole-position e percebi que aquele sujeito, deitado, bêbado no chão, também havia saído vitorioso de sua primeira corrida. O pensamento engrenou e lembrei-me de Sadan Hussein, que um dia já havia sido um esperminha safado, que provavelmente deu um golpe de Estado e chegou, sozinho, no óvulo de dona Sadana... Lembrei-me do Tiririca, do Itamar, do Latino, da Lacraia e do Michael Jackson... Todos vitoriosos, como eu. Todos “especiais”.
Voltei para casa. Desisti de aula. Já estava atrasado mesmo, e eu havia perdido todo o entusiasmo pela vida. Inventaria uma desculpa qualquer, “mataria” minha mãe, mas não poderia dar aquela aula, havendo descoberto o que descobri...



Entrei em casa e sintonizei na FOX KIDS, e eles ainda estavam lá, coloridos e alegres: os Teletubies...
Lála tomava seu creminho gostoso. Tink Wink andava de patinete. Gipsy brincava com uma bola e Poo estava dormindo. Tudo em paz na terra dos Teletubies...
Olho o controle-remoto e sinto meu dêdops esticar-se em direção à tecla channel. Penso, penso, e, num ato de coragem, arremesso o controle contra a parede, quebrando-o em mil pedaços...
Hoje, chego em casa e eles estão lá, com suas criancices e infantilidades, mas nunca, nunca, me comparando ao Michael Jackson... Não mudo mais de canal, pois levantar da cama para isso necessita de muito esforço. Às vezes, encho o saco de Teletubies, mas penso como se fosse um palestrante de programa de auto-ajuda:
-Eles são especiais! Cada um deles já foi um esperminha, nadando em direção ao sol que era o óvulo da mamãe... E podia ser pior: você poderia estar assistindo ao jornal do SBT...
Quando penso nisso, sinto uma alegria danada por estar ali, vendo-os brincando e sorrindo, e penso comigo mesmo:
-De novo!!!

Um comentário:

drica disse...

Ah olha só, apesar de mulher sofro desse mesmo mal...o dedo não para e fica lá...zapeando..é incontrolável..rs