SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

CONJUNTURAS POLÍTICAS

Se você é daqueles que não gosta de política, pule esse post, pois ele é sobre isso...
Quem me conhece sabe o ódio visceral que tenho do Lula, mais ou menos como Eliot Ness e Al Capone ou Jaspion e Satã Goss.
Meu sonho é confeccionar um solado de borracha vulcanizada com a cara dele, só para que eu saiba que, a cada passo, estou pisando no Lula, e nem ficar bravo quando pisar em caca de cachorros, mas tenho que reconhecer: o barbudo me surpreendeu!
Fui a primeira pessoa que conheço a apoiar Alckmin para presidente, e achava que ele levaria o diploma do TSE para casa, mas com aquela campanha pífia que ele fez, acho que não ganhava nem do Garotinho, na eleição passada... Em vez de dizer porque era o melhor candidato, ficava gritando que o Lula era o pior, o que foi, cá entre nós, uma pena, pois perdemos uma chance ética e administrativa sem precedentes na historia recente do país.
Independente disso, o fato é que, por mais que me doa, por mais que me core o rosto ao dizer e pensar isso, por mais que meus rins sacudam e dêem mostras de que não concordam com a opinião, tenho de admitir: Lula foi um bom presidente...
Pasmos? Fatos são fatos, e contra eles, não há argumentos. Eu achava que ele quebraria o país, e não quebrou. Eu acreditava que a hiper-inflação tornaria a instalar-se, mas não foi o que vi. Eu acreditava que as políticas públicas seriam deturpadas, mas não foram. Eu imaginava que ele faria o que sempre diz que faria se fosse governo, mas não foi isso que ele fez e houve coerência entre o governo FHC e o governo Lula, uma continuidade simbólica, mantendo preceitos básicos e alterando idéias fisiológicas, mas, em suma, mantendo um padrão.
Sim, meus amigos leitores, Lula fez um bom governo... Não nos levou a bancarrota, não nos levou para o comunismo nem para o golpismo, e teve um cuidado com o povão, que, cá entre nós, estava meio esquecidinho no seu canto...
Claro, o país não cresceu nada além do crescimento vegetativo normal, mas poderia ter encolhido! Não era isso que todos, eu no rolo, achávamos? E, claro, nunca na historia da república, houve tanta corrupção e tamanha bandalheira em torno da instituição “presidência”, o que, por si só, é algo extremamente negativo e suficiente para sepultar qualquer presidente, mas onde estava a oposição quando precisamos dela? Somando-se a falta de oposição competente, há também o fato de que a população deixou claro que não liga para ética quando ela afeta o próprio bolso, deixando por terra aquela idéia de “pobre certinho” que tanto se fala no país. Não bastasse votar no Lula, votaram no Maluf! Conheço gente, que se diz ética e me chama de antiético, cuja família toda, de ponta a ponta, é Maluf ate morrer e, mesmo assim, são partidários da ética, algo como um padre que apóia o aborto ou um punk que resolve ser candidato a presidência. Cada um carrega a ética que merece...
Corrupção e demagogias familiares à parte e já tornando ao assunto principal, vale lembrar que o governo, que era predestinado a ser como a Challenger ou a Colúmbia, e explodir no ar com efeitos pirotécnicos, não só não explodiu quanto conseguiu pousar e decolar de novo, e isso é sim um mérito para o Lula, que é um droga de presidente, mas provou não ser tão ruim quanto achávamos que seria, e, cá entre nós e que meus rins não me ouçam, ele mereceu vencer as eleições de 2006... (ai, meus rins!)
E antes que me xinguem de lulista, continuo mantendo minha coerência: se eu tivesse que optar entre Lula ou Collor, eu optava pelo Collor. Se eu tivesse que optar entre Lula ou FHC, eu optava por FHC, sem sombra de dúvidas. Se eu tivesse que optar entre Lula ou Serra, eu ficaria com o Serra. Se eu tivesse que optar entre Lula ou Alckmin, eu votei no Alckmin. Se eu tivesse que optar entre Lula ou Mickey Mouse, eu votaria no Mickey Mouse. Se eu tivesse que optar entre Lula ou Fernandinho Beira-Mar, eu votaria no Fernandinho, mas isso já é minha notória implicância com o barbudo que dirigirá o país ate 2010...
Mas que, um dia, eu ainda arrumo o tal sapato com a cara dele na sola, ah, isso eu arrumo...

3 comentários:

Janinha® disse...

Bom... eu devia ter seguido seu conselho inicial... mas enfim, eu li o post.. e não achei de todo ruim.. é legal admitir q nossas suspeitas estavam erradas..
não tenho esse ódio todo pelo LULA.. no meu caso a palavra seria "decepção".. mas até aí, normal. ninguém consegue se manter imaculado habitando um monte de sujeira...

ai ai.
política é um porre de se discutir... prefiro falar sobre futebol, religião, música.. qq outra coisa. :P

hihihihihihihihi
chegou chegando hein.. só nas polêmicas. rs*

Anônimo disse...

Isso mesmo! mostre ao mundo o que pensas! és corajoso, parabéns!!!
bj
Ângela

Cris :)! Müller disse...

Pulando este comentário...