SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

sexta-feira, 12 de março de 2010

Perto do Fim

Sempre soube que esse momento iria chegar, afinal, tudo que nasce
morre, tudo que morre fede, tudo que não nasceu não poderá morrer...
Sempre, na vida de todo ser vivo, chega o dia em que será o último dia
de sua vida, e sei, sinto, pressinto, que esse meu últimoso dia de
vivente na Terra acaba hoje...
Pois é, esse talvez seja meu último post... Estou perto do fim,
acabado, cansado, só aguardando o golpe final da gadanha da Morte,
para que eu possa seguir meu caminho pelos campos verdejantes do
senhor. Cá do entre nós, não só não acredito em CAMPOS VERDEJANTES
quanto sei que, que existirem, não vou pro céu nem pra lá, e penso
comigo mesmo:
DEVE SER UM PORRE VIVER TODA A ETERNIDADE, USANDO SAIA, DESCALÇO,
CAMINHANDO PELOS TAIS CAMPOS VERDEJANTES, ENQUANTO TOCAMOS HARPA...
Deixemos de lado meus pensamentos mundanos e não-religiosos. Meus
minutos se esvaem e cada segundo perdido, é um segundo que se
perdeu... (como estou filosófico hoje!)
Não falemos mais sobre campos e camisolas, e tornemos ao personagem
principal desse texto, razão principal desse blog, o Hércules de meu
mundo: eu!
Desculpem o egocentrismo, mas um homem à véspera de sua partida
almática pode ser um pouco egoísta...
Sim, leitores, esse pode ser meu último post! Quem leu, leu, quem não
leu, leia os antigos e comentem, senão puxo o pé a noite...
Aqui, em meu leito de morte, pensando comigo mesmo nesse momento de
solidão extrema, chego à conclusão: vou morrer...
Tenho 34 anos e vou morrer com essa gripe que me assola, essa nariz
que não para de escorrer, essa leve dor de cabeça que esconde um
tumor, essa febre altíssima de 38¤ que destroe meus pensamentos...
Sim, vou-me já, com cacofonia e tudo, afinal, a todo homem moribundo
deveria haver o direito constitucional de dar sua última cacofonada,
seu derradeiro pleonasmo saindo para fora de seu âmago...
Exagero?
Nunca! Sou homem, do tipo machão, e sei que gripe para nós machos é
como kliptonita para o Superman. É direito adquirido por nós como
espécie podermos gemer e previsarmos nossa morte, assim como todas às
mulheres tem direito a fazerem papel de ridículas ao verem uma simples
barata.
Apesar disso, tiraram-me o essencial, o primordial, o supra sumo de
minha trágica doença: estou sozinho, num quarto escuro, jogado às
traças e NINGUÉM AQUI PRA ME OUVIR GEMER!
Aonde está a solidariedade feminina, que não aparece? Cadê minhas
vizinhas, amigas, colegas, parceiras, que não vem me visitar nesse
momento redentor?
Fica o desabafo de um pobre moribundo cujos últimos suspiros serão
esses, virtuais, dados àqueles que me seguem e me lêem e me gostam...
Aos outros, meu desprezo-mor, meu mais profundo desdém, minha mais
ampla malquerência e meu mais doído BAHHH!
Fico aqui, fiéis leitores. Já vejo a luz, e não tenho vontade de
correr dela... (na verdade, é o indicados de stand by do dvd,mas
posso, nesse momento de dor e solidão, achar que é outra coisa...)
Termino dizendo uma profecia febril: amanhã, não venho, mas se me
virem aqui, é porque eu vim...
ADEUS MUNDO CRUEL!
--
Enviado do meu celular
Se antes de cada acto nosso nos puséssemos a prever todas as
consequências dele, a pensar nelas a sério, primeiro as imediatas,
depois as prováveis, depois as possíveis, depois as imagináveis, não
chegaríamos sequer a mover-nos de onde o primeiro pensamento nos
tivesse feito parar. JOSÉ SARAMAGO

2 comentários:

Flávia disse...

Caríssimo...gostaria que soubese que sou solidária à sua dor e, em nome de seus seguidores, peço: não vá para a luz!
Continue aqui, nos entretendo com suas aventuras e nos ensinando o que aprendeu pela vida.
Lembre-se das sábias palavras do Seu Cláudio: "uma luta de cada vez, um adversário de cada vez..."
E o mais importante de tudo...a gripe passa!!!
Abraços...

Michele P. disse...

Olá ao meu mais novo companheiro de devaneios...
Se eu já não estivesse acostumada com o tom satírico de seus posts, neste momento garanto que estaria realizando uma prece em nome de sua alma atéia. rsrs
No entanto, como atenta observadora que sou, percebo que sua gravíssima moléstia infecciosa se deve a um vírus comum, que ataca 30000000000000000 em cada 30000000000000000 de homens, (embora poucos cheguem a assumir o diagnóstico.) Conhecido popularmente como carenciaprofundadeafetoeatenção, o malvado micróbio ataca em forma de um vazio profundo e só é sanado através do esmero e humor feminino.rsrs

Ânimo meu amigo!
Sorria, mesmo que seja da minha falida retórica. rs

Bjos!