SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

terça-feira, 9 de março de 2010

Leitores fantasmas

Ontem publiquei um post curto, curtíssimo, curtérrimo, falando sobre a vida.
Post sem intenção nenhuma, sem vontades maiores, nascido pra não ter
repercussão, e eis que recebo um comentário de uma leitora fantasma,
chamada Michele, que me fez ver que a vida não é uma merda tão grande
assim...
Hão os momentos em que agimos como heróis anônimos, matando um leão ao
dia, sem reconhecimento algum, pois assim é a vida, e os leões devem
ser mortos, mas, de vez em quando, um carinho, atenção ou um simples
OI pode fazer a vida ser melhor e nos dá ânimo para matar leões,
dragões, cobras e morcegos.
Só precisava de um OI, e ganhei, vindo de onde menos esperava...
Obrigado, Michele, pelo oi, pelo carinho e por acompanhar, mesmo que
secretamente, o que se passa aqui nesse espaço e, consequente, em
minha vida. Aqui não é BBB, mas dá tesão saber que tem gente
espiando... Espiem à vontade: a casa é de vocês!
--
Enviado do meu celular
Se antes de cada acto nosso nos puséssemos a prever todas as
consequências dele, a pensar nelas a sério, primeiro as imediatas,
depois as prováveis, depois as possíveis, depois as imagináveis, não
chegaríamos sequer a mover-nos de onde o primeiro pensamento nos
tivesse feito parar. JOSÉ SARAMAGO

2 comentários:

Michele P. disse...

Surpresa estou eu ao ser tão explícitamente elevada da categoria de simples leitora fantasma ao pódio de personagem principal. rsrs
Mas são destes imprevistos agradáveis que eu estava falando ontem.
Em dias desesperadores vale mais pensar que a BOSTA DE VIDA, escrita em letras garrafais, é apenas uma bostinha minúscula daquelas que a gente cobre com areia para que outros não pisem.

Fica a minha teoria e um abraço compreensivo,
Michele.

Michele P. disse...

Barbaridade!
Esta história sem pretensão de acontecer, deu pano para manga.rs

Caso seja possuidor de uma personalidade impassível , visite:
http://profmieseusdesvaneios.blogspot.com/
Escondo-me aqui.