SOBRE O BLOG

Miscelânea intuitiva de gostos, sonhos, desejos, angústias, paixões e destemperamentos, e,porque não, de ódios, raivas e estresses... Miscelânea é assim: TEM DE TUDO!

Meu Diário de Bordo da solidão, meu painel de idéias e guia de entendimento, tudo misturado com humor, drama, terror, anti-corintianismo, sentimentos e doses homeopáticas de papo sério.

Chega junto, arruma um banquinho, senta aí e vem comigo!

Páginas

quinta-feira, 17 de abril de 2008

A DEFESA DOS NOBRES DEPUTADOS DESSA GRANDIOSA NAÇÃO QUE É O MEU BRASIL VARONIL

Eis-me aqui falando de política novamente... Havia me distanciado do assunto desde que falei da reeleição do Lula, em 2006, quando um bando de leitores empedernidos chamou esse que aqui lhes escreve de lulista... Justo eu – que fardo carrego! – que sou anti-Lula desde criancinha. Justo eu - minha amiga Marina está de prova - que sou reacionário de carteirinha, gostava do ACM e fui FHC desde a eternidade e acreditava nos benefícios da Polaca, apesar de não ir com a cara do Chico Ciência...
Não havia mudado de time naquela época e sim somente havia feito um comentário, pois aos defeitos, críticas, as qualidade, elogios, e havia alguns elogios a serem feitos ao governo e à sua atuação, naquele momento, apesar de manter-me onde estive e sempre estarei: contrário ao ataque petista ao Estado e à ignorância presidencial do molusco-mor.
Desde então, calei-me politicamente aqui no Diário, mas hoje, precisamente hoje, exatamente hoje, torno ao assunto, motivado por um convite que recebi de uma grande amiga que, sem nenhuma má-intenção, convidou-me à participar de uma comunidade do Orkut. O nome da comú? Cuspa num deputado.
Aquilo me encolerizou, porque acho um desrespeito a simples menção da idéia. Deputados são autoridades da República, devidamente constituídas, eleitas democraticamente. São símbolos nacionais. Fazem parte de tudo o que somos como nação.
Particularmente, acho o cargo de deputado um cargo nobre. Alias, é nobríssimo. Alias, é insigne, ilustre, grandioso. O de senador, ainda mais: é insigníssimo, ilustríssimo, grandiossíssimo. Cada deputado representa mais de 225.000 brasileiros, e acho, inclusive, que deveriam ganhar mais do que ganham, mas sem 14º e 15º, que já é exagero.

(se você é nervosinho e já está querendo me matar, continue lendo, pois, com certeza, vai me apoiar quando eu puder explicar minhas idéias sem censura...)

Já tivemos, na história política do país, muitos e muitos deputados ilustres. Joaquim Nabuco, por exemplo. Vargas. Dante de Oliveira. Carlos Lacerda. Ulisses Guimarães. Franco Montoro. Pra ficar só nos mortos... Senadores, então, nem se fala: Mário Covas, Suplicy (pamonha-mor, mas honesto), Heloísa Helena (histérica, porém honesta), FH, José Serra, Cristovão Buarque, pra ficar nos recentes...
Antes de cuspirmos nos políticos que ali estão, antes de mirarmos nossos ilustríssimos cuspes em direção aos nobres deputados e nobríssimos senadores, devemos olhar e cuspir na verdadeira desgraça da nação: o povo!
Se a Câmara dos Deputados é hoje um antro de Maluf’s, Genoíno’s, Palocci’s, Severino’s, devemos ao nobre povo que os elegeu. Se temos um forrozeiro que toca teclados e um costureiro sem educação, se temos um grupo de analfabetos e outro grupo que pica as pessoas com motosserra, se temos gente que rouba dinheiro do BNDES e aplica no ranário da esposa, se temos gente que quebra o sigilo bancário de caseiros e usa contra ele a força do cargo de Ministro da República, se temos mensaleiros que não tem nada contra andarem com dólares nas cuecas, enfim, se temos lá esse corja que merece ser cuspida, fomos nós, o povo, que os colocamos por lá, e é nosso o cuspe merecido. Somos comandados por representantes danação (by Vão Gôgo): eles nos representam, são a nossa cara, são o que pensamos e o que queremos ser. Quem votou em Maluf, sabia quem era Maluf e tudo o que ele representava. Quem votou no Genoíno, sabia o quão ladrão e cara de pau era o safado. Quem votou no Frank Aguiar, sabia de toda a sua capacidade intelectual. A ética do PT, tão apregoada por 20 anos sem poder, esfacelou-se instantaneamente quando colocada junto às canetas que assinavam os cheques e aos códigos dos cartões corporativos, mas o apoio ao partido não arrefece, claro.
O cargo de deputado é honrado. Desonrados somos nós, que colocamos gente sem honra no cargo. Desonrado é aquele que vota e diz, depois de um ou dois anos da eleição, que não sabe em quem votou... Desonrado é aquele que, no dia da eleição, vai à praia pegar um bronze e depois se acha no direito de reclamar dos políticos eleitos pelos que não foram à praia tomar um bronze...
Pense nisso antes de cuspir em alguém, pois cada cuspe contra um Palocci ou Severino não passa de um cuspe na própria cara de quem colocou-os lá.

2 comentários:

Andréa disse...

Interessante seu ponto de vista, mas ainda assim discordo de que os deputados mereçam ganhar mais. Mas concordo que temos o que merecemos, afinal votar e depois nem saber quem está no cargo é vergonhoso (ainda bem que eu lembrei ontem meus últimos votos, senão minha moral estaria a zero). Sua argumentação está perfeita em relação ao papel do povo em nossas eleições. Pena que suas palavras, assim como de muitos que pensam igual a você, ainda não atinjam a grande maioria de nossa população. Parabéns pela sua coerência e coragem de expor um pensamento que muitos preferem esconder pelo receio das possíveis críticas que serão recebidas.

Kátia disse...

CEL,

Você sabe que te conheço há tempo suficiente pra poder questionar isso, mas sabe que quando você escreve textos assim, sempre me pergunto:

ELE DIZ ISSO PQ ACREDITA NISSO MESMO OU PQ QUER APORRINHAR OS QUE DISCORDAM DO DISCURSO?

Sei o quanto voce gosta de polemica, aliás, polêmica deveria ser o seu segundo nome: celso polemica aimola....hahahahaha

Só pra dizer: votei no Lula... E sei o quanto vc já me aporrinhou por ter feito essa bestera!

Mas tá valendo...


Um abraço pra ti e se cuida, pois deve ter muita gente querendo caçar vc, igual a uma ratazana prenha...rs

Bjinhos..